Pirataria no Esporte: tendências tecnológicas

 Pirataria no Esporte: tendências tecnológicas

Abaixo estão listadas as principais tendências tecnológicas que impactam o tema da pirataria esportiva, conforme identificado pela GlobalData.

A ascensão das plataformas de streaming e o aumento do uso da Internet abriram diferentes maneiras para os fãs de esportes assistirem seus times favoritos competirem, além do cabo tradicional. Muitos agora assistem a partidas on-line, e os espectadores mais jovens geralmente optam por uma configuração de várias telas para acompanhar vários jogos ao mesmo tempo.

Plataformas de streaming/OTT
Uma possível solução para combater a visualização ilegal é introduzir mais plataformas de streaming. O conteúdo over-the-top (OTT) tornou-se cada vez mais popular nos últimos anos, com muitos jovens gravitando em direção a esses serviços devido à facilidade de acesso e à diversidade de ofertas nessas plataformas.

Ter uma plataforma de streaming universal permitiria que fãs de todo o mundo pudessem acompanhar de perto sua liga favorita e não serem prejudicados por restrições de países ou falta de acessibilidade. No entanto, isso também afetaria muito o mercado de direitos de mídia incrivelmente lucrativo e as emissoras cuja economia inteira é baseada na aquisição de direitos esportivos.

Aumento na qualidade
A última década viu um aumento significativo na pirataria esportiva, devido aos avanços na tecnologia para streaming. No início dos anos 2000, assistir esportes ilegalmente era muitas vezes uma busca frustrante devido à qualidade muitas vezes ruim e ao número significativo de anúncios. Embora o último não tenha desaparecido, a qualidade da imagem e a velocidade da internet aumentaram, permitindo que os espectadores acessem fluxos de alta qualidade que são quase tão bons quanto aqueles que pagam por transmissões.

Segurança x pirataria
A transmissão ilegal é difícil de evitar devido à facilidade de encontrar uma brecha nos sistemas de segurança. Essencialmente, basta um mecanismo ineficaz de proteção de conteúdo dentro da rede de distribuição de uma empresa de TV a cabo ou uma plataforma online para tornar um jogo acessível aos piratas. Embora muitas dessas empresas tenham a infraestrutura tecnológica para lidar com isso, algumas provavelmente terão lacunas que podem ser prontamente exploradas.

Tokens de pirataria e não fungíveis (NFTs)
A explosão de criptomoedas no ano passado foi parcialmente facilitada por vários atletas lançando seus próprios tokens. Muitas vezes valendo centenas de milhares de dólares, os NFTs são tokens que supostamente podem provar a propriedade exclusiva de um item digital.

No entanto, a pirataria NFT é abundante e foi auxiliada pela criação de um site que alegou permitir aos usuários baixar ‘todos os NFT’ no blockchain Ethereum de uma só vez. Os NFTs têm sido fortemente criticados por muitos por sua inutilidade, uma vez que outras pessoas podem copiar e acessar os NFTs de outras pessoas.

O conteúdo Pirataria no Esporte: tendências tecnológicas aparece primeiro em TecTecno – Tudo sobre o mundo tecnológico!.

Carlino Souza

Post relacionados

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.